domingo, 25 de agosto de 2013

Resenha #1: A Balconista

Tenho essa resenha já faz algum tempo guardada numa pasta qualquer aqui do computador, e resolvi postar! Infelizmente, a minha primeira resenha será de um livro que não gostei! Fiquei indignada depois que pesquisei sobre esse livro e muitas pessoas acharam "muito bom", porque eu achei muito ruim. Clichê, é a palavra certa. Então aí vai, A Balconista, de Steve Martin. Ah, e um aviso prévio essa resenha é extremamente crítica.





           Comprei esse livro numa feirinha, cinco livros por R$ 10,00! Não podia perder, né? Quando comprei, lembrava que já tinha visto o nome do autor em algum lugar, só não lembrava aonde, depois descobri que Steve Martin é aquele ator comediante que fez “A Pantera Cor de Rosa 2”, “Treze é demais”, dentre outras comédias de sucesso. Confesso que levei um susto quando vi que ele é o autor, pois o livro tem essa capa linda e romântica, e o livro em si é romântico, nada a ver com Martin, no meu ponto de vista.


                Comecei a ler no mesmo dia, sem saber ao certo o que esperar. Nas primeiras páginas senti que seria mais um clichê romântico, com a mocinha tímida, depressiva, sem amigos, infeliz com a vida sexual, já imaginando que provavelmente ela tinha gatos. E realmente tinha. A mocinha da qual falo é Mirabelle, uma mulher de 28 anos, artista, que veio do interior tentar ganhar a vida em Los Angeles, e acaba como balconista de uma famosa loja de Beverly Hills, vendendo luvas.
                Quando o mocinho aparece, Ray Porter, é o momento em que o autor do livro coloca o seu “eu” na obra, normalmente os “grandes autores” conseguem disfarçar esse momento, entretendo tanto os leitores ao ponto de não sentirmos a presença do autor, porém, Martin não consegue isso. Ray é um cinquentão divorciado, um rico homem de negócios, metido a solteirão “curtindo a vida adoidado”. Este livro foi adaptado para o cinema, e adivinha quem foi o ator que fez Ray Porter? Isso mesmo, Steve Martin.

Cena de "Shopgirl", ou "A Garota da Vitrine", adaptação de "A Balconista" para os cinemas

                Enquanto Mirabelle se apaixona por esse homem tão gentil, pensando que ele também está apaixonado, Ray só quer sexo, um relacionamento que não dure muito.
                Como personagens secundários, está Jeremy, que é apaixonado por Mirabelle, porém é tímido e sem iniciativa, com a carreira tão promissora quanto a de um artista da nossa mocinha, e também Lisa, mulherão, indomável conquistadora, quer tirar Ray de Mirabelle, aliás, quer tirar qualquer homem da vida de qualquer mulher que ela considere inferior, apesar da ingênua menina não perceber as suas intenções, como toda inocente mocinha de livros clichês de romance.

               O desenrolar da trama não proporciona uma leitura que nos prende, é algo monótono e previsível, com uma capa bonita e um nome de marketing, A Balconista é um romance para ser lido em algumas horas, e esquecido em algumas horas também, nada que marque, que nos faça escrever citações ou dar inspirações. 
                Porém, o filme é muito bom e engraçado, estranho dizer isso já que a maioria dos livros são muito melhores do que suas adaptações, esse, para mim, acabou sendo o contrário. 
              
Então, essa foi a minha primeira resenha! Eu sei que foi triste, ler um livro e não gostar é sempre triste, né? Da próxima vou postar de um livro que eu realmente gostei de ter lido! Prometo!

4 comentários:

  1. Gostei do seu jeito de resenhar. Sabe quando você falou uma vez de blogs sem conteúdo? Então, o problema das resenhas desses blogs é que elas consistem de: sinopse (geralmente tirada da capa), citações (2 a 5), e um "gostei/não gostei, porque", sendo que o "não gostei" é raríssimo e o porquê é bem mal-explicado. Você não tem disso, escreve seu próprio resumo do livro e explica bem seus motivos para não gostar, de forma persuasiva. Não sei se vi o filme, todos os filmes do Steve Martin me parecem iguais agora, desde a década de 90, mas passarei longe do livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raphael! Que bom que você gostou, fico muito feliz! Realmente é disso que não gosto dos blogs que fazem resenhas, normalmente não é crítica, apenas dizem o que a sinopse diz, e não acho que seja o objetivo de uma "resenha crítica", não é mesmo?

      Excluir
  2. Oi Lu, amei a resenha e o livro. Sou aquela menina do Instagram, haha. Nem sabia que ele era autor, me interessei bastante pela ideia do livro e pela novidade.
    Vou aproveitar que a bienal está chegando, e vou procurar por lá!

    Eu também tenho um blog, e me identifiquei bastante com o seu jeito de escrever, organização e tudo mais. Sempre tendo cuidado com possíveis erros de português e formatação, parabéns! Caso se interesse, poderíamos fazer uma parceria.

    Beijãão!!

    http://cloudsandfantasy.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Helen! Que bom te ver por aqui! Gostou? Eu não gostei do livro, mas se você é leitora assídua de romances, pode ser que goste!

      Vi seu blog, você também lê bastante né! Claro, conversaremos sobre! Espero te ver mais por aqui, beijos!

      Excluir

Oi! Gostou do post? Não gostou? Deixe seu comentário aqui! :D