domingo, 22 de setembro de 2013

Resenha #7: O Clube do Livro do Fim da Vida


         
           O Clube do Livro do Fim da Vida, de Will Schwalbe, foi um livro que ganhei de aniversário esse ano da minha amiga Maria Victória, amo ganhar livros de aniversário, e amei quando ela veio com aquela embalagem da livraria, acho que dar um livro é como um elogio. Obrigada, linda!
          Mas enfim, esse livro é uma história real, que Will conta desde quando sua mãe, Mary Anne, foi diagnosticada com câncer até sua morte, dois anos após. Will acompanha-a nas sessões de quimioterapia, e é quando eles formam um “clube do livro” sem querer, já que eles começam a ler os mesmos livros e depois a conversar sobre eles, indicam livros que já leram e sempre leem o que lhes foi indicado, e como Will era editor, ás vezes trazia livros que ainda não foram lançados para a mãe ler.


              Durante a história e encontros entre mãe e filho, eles vão contando toda a trajetória de Mary Anne, que vivia para ajudar as sociedades pouco desenvolvidas, o seu projeto mais recente era uma biblioteca ambulante no Afeganistão, um projeto no qual ela gastava todo o seu tempo e pensamentos. Sempre fora uma mulher muito agitada, e mesmo na sua idade de setenta e poucos anos, nunca parava ou diminuía o ritmo, sempre disposta a ajudar os outros e a iniciar novos projetos.
             Gira em torno da vida de Mary Anne, como ela era antes do câncer e depois do diagnóstico, e os livros que os dois leem juntos, como se fosse uma grande resenha, até no final do livro tem uma parte com todos os livros que eles leram, bem interessante.
                
             É uma história de como os livros podem tocar nossa alma, afetar nossa vida, mudar nosso jeito de ver o mundo, de pensar o mundo, essa mensagem que ele trás é realmente muito bonita, deixar nossa marca no mundo através dos livros que lemos.
              Bem, ele até tem uma história legal, que poderia ser emocionante e até cativante, mas deixa a desejar no enredo, pois não há um ápice de emoções, é muito constante pode-se dizer, começando a lê-lo já sabemos o final, não há algo que nos prenda a sua leitura. Não é ruim, mas também não é algo que nos marque, que deixe um pedacinho dele conosco, é, como eu falei, uma grande resenha de muitos livros. 

6 comentários:

  1. Ei desaparecida. É impressão minha ou esses livros "histórias-reais" nunca são tão bons assim? Talvez porque eles protegem demais os personagens, já que são pessoas de verdade, né? Sei lá, todo mundo parece perfeito nessas histórias, me incomoda um pouco.
    Só uma observação, li o nome do autor na foto da capa e vi o jeito que você escreveu na resenha, então procurei no google pra conferir como se escreve e é Schwalbe, não Schuralbe, mas a fonte da capa é meio confusa mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, essa semana foi corrida! Acho que sim, mas talvez esse livro que foi bastante parado mesmo. E realmente, ninguém no livro tinha "defeitos".
      Sim, não parei para pesquisar sobre o autor, normalmente só faço isso quando o livro é muito bom, obrigada por corrigir! Já está arrumado.

      Excluir
  2. Só o título já me emociona hahaha
    Sempre quis fazer parte de um clube do livro :3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também! Quem sabe aqui em Itajaí não tem um?!?

      Excluir
  3. Gostei muito do livro, me interessei realmente pela história! Parece bastante interessante, gostei da sua resenha! Parabéns pelo blog!
    Um abraço
    Um guarda-livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história é interessante, porém me decepcionei um pouco com o enredo, achei um tanto quanto fraco!

      Excluir

Oi! Gostou do post? Não gostou? Deixe seu comentário aqui! :D