quarta-feira, 20 de novembro de 2013

House of the Rising Sun

"O doce da tua boca me fez delirar, quando o sol nasceu e refletiu o brilho dos teus olhos nos meus, com as nuvens a girar naquele céu azul que abençoava nosso amor, e eu penso “como posso não te amar?”. À sombra daquela árvore feita de dobraduras no papel, o verde brilhando no orvalho da manhã, as folhas voavam, fechavam, abriam, de verde para o preto, de vida para a morte, os galhos balançavam ao sabor do vento, aquela brisa gelada que dizia “o dia começou, enfim”, e a vida mostrava o porquê de ser feliz." 

Luana Kraemer


2 comentários:

  1. Já te falei o que eu achei do texto, mas achei que era bom colocar aqui também. Acho que são nesses seus textos mais criativos que você realmente mostra a qualidade da sua escrita. Ficou bem poético e com imagens bem formadas, parabéns.

    ResponderExcluir

Oi! Gostou do post? Não gostou? Deixe seu comentário aqui! :D