domingo, 10 de novembro de 2013

Linkagem de Domingo #10

     Completando 10 domingos de Linkagem de Domingo!

1: Fotos do Diwali, o Festival das Luzes dos Indus, na Índia, aqui;
2: Texto incrível sobre o "Rei do Camarote" e o "rastro de sangue" que o segue, aqui;
3: Uma campanha fotográfica utiliza o Google para mostrar a violência contra a mulher, extremamente interessante, aqui;
4: O que a Carol do Liamasu anda lendo, vale a pena dar uma olhada, ela fala sobre os livros fofos e maravilhosos da Jane Austen, aqui;
5: A não existência de sentido no "Rei do Camarote" (de novo), aqui, com os 10 mandamentos para você não ser tão babaca quanto ele;
6: Sobre a revista Vida Simples, que a Thais Godinho falou aqui, e eu também falei aqui;
7: Lançamento do livro Eu Me Chamo Antônio, o fenômeno de poesia no guardanapo, aqui, fazia tempo que quis tanto um livro como estou desejando esse!




2 comentários:

  1. Não sabia de toda essa história em cima do "rei do camarote" até ler esses links, antes nem tivesse lido. Esse cara me lembrou o Patrick Bateman, do filme/livro Psicopata Americano (já viu/leu? Eu só vi o filme, que é bom, apesar de ter suas falhas), só que sem todos os assassinatos - eu acho, vai ver ele tá matando gente por aí e nós não sabemos, só o sorriso totalmente desprovido de qualquer sinal de vida já me causou arrepios o suficiente.

    Mas, sei lá, achei os textos meio ingênuos, tratando esse cara como um caso isolado ou como se ele não fosse o que grande parte das pessoas têm como objetivo de vida. Longe de mim defender esse cara, mas as críticas que estão sendo feitas me soam como hipocrisia...ou talvez seja eu que esteja especialmente pessimista ultimamente, não sei, mas eu não me lembro de tanta gente preocupada com ostentação e desigualdade social na semana passada. Só sei que eu acho que caras como o "Alexander" - é esse o nome do puto? - são uma maioria assustadora, talvez não de conta bancária, mas de atitude. A única diferença dele pra todo o resto desses filhos dumas putas é que ele fez a merda de abrir a boca.

    E outra, não vi ironia alguma na matéria da Veja. Se o público tivesse reagido positivamente ao rei do camarote, eles teriam dito que o objetivo da matéria era mostrar o glamour da vida dos empresários brasileiros. Só virou ironia quando o povo começou a reclamar. Mas eu posso estar errado, não li a matéria e, repito, meu cinismo está meio fora de controle.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante, ótima visão dos textos, porém, as pessoas sabem que a maioria é assim, mas quando as coisas tomam essa proporção, não tem como não comentar ou reclamar de algo. Quanto a matéria da Veja, também não vi, mas concordo com você, agora virou ironia.

      Excluir

Oi! Gostou do post? Não gostou? Deixe seu comentário aqui! :D