segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Pelo direito de mudar.


Sabe aquela música do Raul Seixas? Ela diz uma coisa que pode até ser considerada um pouco clichê agora, mas fala uma verdade incontestável: eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.
Tudo muda o tempo todo, acho que isso também é de uma música, mas não lembro qual e nem o artista, mas é a realidade, nada é igual, nem as horas, nem os dias, nem as semanas, meses ou anos, estamos sempre em constante mutação, seja de aparência, humor, vontades, sonhos e até personalidade. E por que não?
Por que não mudar, se mudar é tão bom? Eu sempre tenho vontade de mudar meu cabelo. Desde que fiz luzes pela primeira vez, em 2011, nunca mais parei. Uma hora estou loira, outra morena, outra com o cabelo curto, outra em camadas, outra comprido e reto, outra com franja, outra sem. O cabelo é a minha constante mudança, não consigo ficar muito tempo sem fazer nada com ele. Isso é ruim? Com certeza não. É tão bom ser diferente o tempo todo, é tão bom não me prender ao que eu era ou ao que eu sou e poder mudar sempre que eu quiser.
Semana passada, por exemplo, estava triste, pra baixo, super desanimada. Sabe o que eu fiz? Fiquei morena! No domingo eu pensei “preciso mudar alguma coisa, não estou feliz assim”, e na segunda estava saindo da cabeleireira morena. E amei! Me senti tão bem, feliz, com novos planos e super animada. Pintar o cabelo pode até não ser algo tão radical assim, mas tem o poder de mudar completamente o meu humor.
Muitas pessoas são assim, e tem gente que pra mudar compra uma roupa diferente, passa uma maquiagem diferente, faz alguma coisa diferente. E é tão bom. É como sair da rotina.
Outra coisa muito importante são as opiniões. Esse é um aspecto polêmico de toda a mudança. Alguns não concordam em mudar de opinião, dizem até que é coisa de gente sem caráter e insegura. Pois discordo totalmente disso. Mudo de opinião o tempo inteiro. Qual o problema disso? Se eu vejo que a minha opinião é equivocada, eu mudo, oras. Se eu penso melhor no assunto e vejo que a minha opinião mudou, eu mudo mesmo. Se uma hora eu gosto de uma coisa e outra hora eu odeio, qual o problema? Não são todos os dias que amo ler também. Isso me faz menos leitora? Não.
Mudar é tão natural quanto dormir ou comer, e tão saudável quanto. Ninguém é obrigado a ser igual o tempo todo, ninguém precisa torcer pelo mesmo time a vida toda. Então por que não mudar hoje, e amanhã de novo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! Gostou do post? Não gostou? Deixe seu comentário aqui! :D